terça-feira, 24 de abril de 2018

Number 5


Nunca vou esquecer dos dias em que os sorrisos que me proporcionaste foram aqueles que não dei valor.
Nunca vou esquecer que dos momentos mais tristes você não me abandonou.
Também não vou esquecer cada gesto que não pude retribuir.
Os dias em que caí e que você me levantou.
Não costumo olhar para trás, nem para os lados.
Prefiro caminhar no presente com a ansiedade ao lado de mãos dadas.
Como não posso escolher, dou lugar a resignação, minha companheira para as causas impossíveis.
Digo, de fato, uma das minhas melhores amigas.
Se um dia, por aí, num sonho ou outro, quiser me encontrar ...
De que adianta ... a questão é ...
Os pássaros, porque usam do céu "avoar" ?
Matheus Ocon

Untitled number 4


Me chamam de tanta coisa. Nomeiam-me como se fosse um produto qualquer. Tentam me atingir da maneira mais sórdida possível. Esse é meu ego achando que sou o centro das atenções do mundo. O importante é que eu não estou nem aí pra nada. Quero apenas me embriagar em meus pensamentos confusos, em minhas lembranças saudosistas, em minhas carências reprimidas. Viver o meu passado, presente no meu futuro. Conviver com o ridículo pensando ser usual, pintar e bordar as custas da póstuma arte que enche os bolsos de canalhas como eu e você. Que faz da miséria e da fome algo comercial e não reembolsa um trocado aqueles que serviram de inspiração para suas obras. Malditos, perversos!
(Matheus Ocon)

29 do tempo a se pensar ...


Não é tão fácil quanto parece. Do tombo, sempre levantamos. O tempo é o senhor de todas as crises da existência humana. A reconstrução te deixa de inumeras maneiras mais forte e imune. Sim, imune. Difícil olhar para trás e assistir a tudo sentado com olhos de quem já atravessou mares, já conheceu diferentes céus, azuis de tons variados e vastos campos verdes de cetim, seda, claro, falo, em Dois, para que o Um não fique só.
Mesmo trincado, foram várias demãos, dadas ou não, restou apenas o fato de que havia separado o único dado que por certo deveria ter chegado antes da negação. Essa que me feriu a alma, essa que não tem perdão.
O senhor pode ter achado uma solução; mas porque não grita e diz em alto e bom som?
Amarraste tuas vestes em corda de algodão.
O que te prima partiu sem razão. Para não ter tua existência em vão, abriu mão ... do azul dos olhos, da Coruja teu guia, da vida, do vinho e do pão.
Sábio Aquele que pede por teu perdão.
Matheus Ocon

Untitled #2


Olhar pro céu sempre que possível e agradecer a Algo ou Alguém que seja maior que você e que lhe proporciona coisas boas, trás alívio imediato. Aprender a controlar a mente, tarefa difícil, quase impossível. Me conforta ser agradável ... me conforta ser desagradável ... me conforta ser simples ... me conforta ser vaidoso ... me conforta o narcizismo ... me conforto no pecado ... mais ainda na luxúria ... me contento com o pouco ... não vivo sem o bastante ... me contradigo por várias vezes ... troco de opinião sem medo. Sou extremista ... previsível ... hoje estou maçã verde, me agrada a cor ... estou saudade ... saudosista ... porém ... saudável.
Matheus Ocon

Minha Janis, minha Joplin !!!


Sua gargalhada matinal ao me olhar faz falta
Mais ainda esperar a saída das 19:30 para nosso posto
Ansiar pelo copo cheio de boas conversas e risos frouxos
Cantar ao som de cultura, política e o ímpeto jovial que nos move
A cada gole sonhar com o impossível para tornar possível apenas por aquele momento
Criar mundos, criar fantasias, criar desejos e alegrias
Fazer amizades, fazer gangues, fazer sangue brotar dos mais descrentes com o sorriso que só ela sabe dar
Reunir marginais, excluir os normais, pois esses ... ah esses ... até esses ela sabe amar
Despir dos "loucos" a mais bela cultura que poucos veem
Sugar vida para dar vida aqueles que não têm
Observar com olhar cabisbaixo por debaixo dos seus ondulados cabelos castanhos
Esperar o momento certo de se manisfestar
E gritar ... explodir ... paixão e desejo ...
Pela vida ... pela alegria de compartilhar ... celebrar ...
O copo que nos une é diamante
Nada o faz quebrar
Ela é Janis, ela é Joplin
Ela é simples, ela é POP
Minha Janis, minha Joplin.

Matheus Ocon

De mim, a ti, que ainda não veio.


Queria um sapo montado em um cavalo marinho de desejos
Unicórnio viajante comendo o fruto do pecado
Coberto com mel que a Mãe das Águas provou
Trazer-te envolto em papel pecado
Passado, leve, simples e amado
Cobrir-te como quem cobre o fogo
Calar-te como quem cala a morte.
(Matheus Ocon)

ÁGUA EM BALANÇA


Quando você olha para o céu esperançoso, temendo seus sonhos e desejos, pedindo a toda e qualquer força maior que você, mesmo descrente de sua existência e uma gota d’água cai em seu rosto simplesmente para lembrar que você não está só neste mundo de céticos e loucos, você; pensa, repensa, lembra de todos os momentos felizes que já tivera na vida, como se um filme rodasse naquele instante, seguido da mais bela trilha sonora que já ouvira em toda sua jovem vida, lhe remetendo sentimentos que raras vezes sentira, de forma que uma estranha saudade de algo que você ainda desconhece lhe invade o corpo, provocando um doce enlevo, que o leva a contemplação Dele e das coisas do sobrenatural.
No entanto, quando você respira profundamente, você sente o sopro da vida, lhe enchendo os pulmões de fé e de luz, lhe dizendo que sua existência não é um simples acaso, embora o acaso seja surpreendente, por vezes sincero, brando, enérgico, de cores e formas variadas, singelo, doce, feito do mais puro algodão, colhido por mãos Santas.
Matheus Ocon